Apesar de não se falar muito nos parasitas em gatos, essa é uma preocupação que você deve ter constantemente. Mesmo que ele viva dentro de casa e não tenha acesso à rua, o gato pode ser contaminado por pulgas, carrapatos, ácaros e vermes. Esses pequenos invasores se instalam na pele ou no organismo do seu bichano e podem provocar incômodos e até doenças graves. Por outro lado, não é difícil prevenir os parasitas de gatos: basta inserir alguns cuidados na rotina do animal, como remédios e até mudanças na limpeza do ambiente em que ele vive.

Parasitas de gatos: quais são os tipos mais comuns?

Quais raças de cachorro mais combinam com você?

Preencha todos os campos para participar.

É só preencher e começar!

Escolha uma opção abaixo

Não tenho pets
Tenho cão
Tenho gato
Tenho cão e gato
Autorizo receber comunicações e publicidade da NESTLÉ®.

Antes de mais nada, é preciso ter em mente que existem vários tipos de parasitas de gatos que merecem a nossa atenção. Entenda melhor:

- parasitas externos: são aqueles que se alojam no exterior do corpo dos felinos, como pelagem e a própria pele do animal. Pulgas, carrapatos e ácaros (que provocam a sarna) entram nessa categoria;

- parasitas internos: se alojam no interior do organismo e podem atingir diferentes órgãos, como é o caso dos vermes em gatos. A giardíase, por exemplo, é uma doença causada por um protozoário que é considerado um dos principais parasitas intestinais em gatos, e, portanto, trata-se de um parasita interno. 

- parasitas de sangue: como o próprio nome já diz, atingem a corrente sanguínea dos cães, como é o caso da bactéria responsável pela doença do carrapato em gato.

Ácasos são os parasitas de gatos mais comuns

Embora pareçam inofensivos, os ácaros dão mais trabalho do que você imagina. Para começar, existem vários tipos de ácaros e cada um deles pode prejudicar os felinos de uma forma diferente. Algumas doenças que são bastante comuns e que são provocadas por esses parasitas de gatos são a sarna demodécica (sarna negra), sarna notoédrica (escabiose felina), sarna otodécica (ácaro da orelha) e a queiletielose (“caspa ambulante”). A melhor forma de prevenir os tipos de sarna é mantendo o bichano dentro de casa, em um ambiente limpo e arejado, e longe de animais doentes que possam contaminar o seu animal. prevenção desse tipo de parasita Existem alguns produtos indicados para eliminar os parasitas do ambiente. 

Pulgas em gatos: como elas agem e o que fazer para preveni-las?

As pulgas em gatos são um problema muito recorrente e que podem surgir quando menos se espera. Às vezes uma simples ida ao veterinário já é o suficiente para que o seu amigo de quatro patas pegue pulgas, já que esse contato com o mundo exterior deixa os bichanos muito mais vulneráveis a esse tipo de problema. Além de causar muita coceira, esse pequeno parasita de gato também pode trazer várias outras consequências para a saúde do seu amigo, como anemia e dermatites. Para prevenir as pulgas em gatos, a melhor solução sempre vai ser a prevenção com remédios específicos que evitam a proliferação desses parasitas, como a coleira antipulgas para gatos.


Os parasitas em gatos podem causar muitos problemas à saúde e bem-estar do bichano
Os parasitas em gatos podem causar muitos problemas à saúde e bem-estar do bichano

Parasitas em gatos: o carrapato também pode ser um problema para os felinos

Assim como as pulgas, o carrapato em gato também é uma preocupação constante quando temos um animal de estimação. Seja ele gato ou cachorro, ninguém está imune. Por isso, os tutores devem ter bastante atenção para evitar que os bichanos sejam atacados por esses parasitas. Para identificar o problema, é fácil: geralmente o gato começa a se coçar ou demonstrar certa irritação por causa do carrapato grudado nele. Como esses parasitas têm uma cor mais puxada para o marrom, dependendo da cor da pelagem do seu amigo não é tão difícil localizar e remover. Aqui vai uma dica: o carrapato em gato costuma se alojar atrás da orelha ou no pescoço do animal.

Se o parasita não for removido e estiver infectado, corre o risco de desencadear a doença do carrapato em gato, onde as bactérias e protozoários invadem a corrente sanguínea do animal. Os principais sintomas desta doença são: coloração amarela na pele e mucosas, perda de apetite, manchas vermelhas espalhadas pelo corpo, sangramento nasal e, em casos mais raros, problemas neurológicos, podendo levar o animal à óbito.

Para prevenir esse problema, a principal dica é: não deixe seu gato dar as famosas voltinhas pela rua. O contato com outros gatos de rua que tenham carrapato provavelmente vai acabar deixando seu gatinho com carrapato também. É super importante manter o remédio de carrapato do seu gatinho (e se tiver cães também) sempre em dia.

Vermifugação é a melhor forma de afastar os diferentes tipos de vermes em gatos

Outros parasitas de gatos são os vermes. Eles podem provocar diversas doenças no organismo do animal, como a giardíase e a dirofilariose em gatos. A primeira é causada pelo parasita Giardia lamblia, que acomete principalmente o trato intestinal dos felinos e deixa o gato com diarreia. É uma doença relativamente comum e que acontece principalmente se o animal tiver contato com objetos ou alimentos contaminados. Além da diarreia, outros sintomas que podem ser observados são gases, vômito, perda de peso e desidratação. Uma das formas de prevenir a giárdia em gatos é com a vacinação.

a dirofilariose (também conhecido como verme do coração), embora não seja tão comum nos felinos, também precisa de certa atenção, principalmente de quem mora na região litorânea. A transmissão geralmente ocorre por meio de picadas de mosquitos infectados. Os principais sintomas são dificuldade respiratória, prostração, vômito, perda de apetite, desmaios e o gato pode até ter convulsões. Para prevenir essa doença, coleiras com ação repelente podem ser uma boa solução, mas também é possível vermifugar o bichano. Assim, mesmo que ele seja picado, não vai desenvolver a doença. Mas atenção: nesse caso, é importante investir em vermífugos específicos para a dirofilariose. 

Redação: Juliana Melo